Pokémon GO para Zenfone – Saiba como instalar o jogo nos celulares da Asus com segurança

asusApesar de Pokémon GO ter sido lançado no Brasil há pouco mais de uma semana, mas nem todos os brasileiros podem aproveitar a jogatina. A versão disponibilizada no país ainda não oferece suporte completo a aparelhos da Asus e outras fabricantes por conta do chip Intel. Porém, parece ter surgido uma salvação.

A Asus disponibilizou em seu site oficial o download do APK estrangeiro compatível com celulares como o Zenfone 5. O instalador já podia ser baixado e instalado antes, mas só agora há uma fonte segura o suficiente para não trazer riscos de infecção por malware – com o sucesso do jogo, hackers estão investindo tudo em versões falsas de Pokémon GO.

Como instalar Pokémon GO no Zenfone:

1. Certifique-se de que o Google Play Services está atualizado no seu aparelho. Atualize por meio da Google Play.

2. Libere a instalação de aplicativos obtidos de fora da Google Play. Para isso, vá até as configurações e selecione o menu “Segurança”.

3. Em seguida, localize o item “Fontes desconhecidas” e ligue a chave ao lado.

4. Baixe o arquivo APK de Pokémon GO disponibilizado pela Asus e instale-o no seu aparelho.

Função de realidade aumentada

Vale lembrar que o APK disponibilizado pela Asus não é capaz de levar o modo de realidade aumentada de Pokémon GO para o Zenfone 5 e outros aparelhos sem giroscópio. Se você tem esse outro aparelho, até de outra fabricante, sem o sensor de giro, não poderá pegar pokémons usando a câmera – a não ser que esteja disposto a burlar o sistema.

Versão oficial

Em seu perfil no Twitter, a Asus garantiu que está “conversando com o Google” para tentar agilizar a disponibilização de Pokémon GO para a linha Zenfone via Google Play. A expectativa é que, em breve, não seja mais preciso baixar arquivo APK e instalá-lo manualmente para aproveitar o jogo em um smartphone com chip Intel no Brasil.

Como baixa oi fon

Pokémon GO bloqueado: Operadora Claro pode ter travado game para alguns usuários; saiba como resolver

CLP

Clientes da operadora Claro utilizaram fóruns online e redes sociais para reclamarem de um suposto bloqueio da operadora ao Pokémon GO. Segundo relatos, a internet móvel da empresa para de funcionar, misteriosamente, quando o jogo é aberto no celular, impossibilitando seu funcionamento.

Usuários de várias cidades do Brasil acusam a operadora do mesmo problema. Ao abrir o game, mesmo com franquia sobrando no pacote de dados, os mapas não mostram pokéstops, ginásios e outros itens importantes mesmo em áreas originalmente povoadas de conteúdo em realidade aumentada.

No perfil da Claro no Facebook, usuários invadem postagens dos Jogos Olímpicos para pedir explicações. Mas, até o momento, nenhuma posição definitiva foi dada pela operadora a nenhuma das dezenas de reclamações. Em algumas postagens, clientes dizem não ter tido problema para jogar usando chips da Tim, Vivo ou Oi.

As soluções

Aparentemente, para alguns usuários, o problema afeta somente a rede 4G da Claro. Vários jogadores relataram acabar com o problema ao mudar a conexão preferencial no celular para 3G. Apesar da velocidade menor, os dados móveis de terceira geração não apresentariam bloqueios a Pokémon GO, que pode voltar a exibir o mapa completo.

Como mudar de 4G para 3G no Android

1. Abra as configurações do aparelho e acesse o item “Mais”. Em seguida, toque em “Redes móveis”.

2. Toque em “Tipo de rede preferencial” e selecione “3G”.

Como mudar de 4G para 3G no iOS

1. Acesse os Ajustes e toque em “Celular”.

2. Vá em “Voz e dados” e selecione “3G”.

Como alterar a APN da Claro

Caso mudar para o 3G não resolva os problemas do jogo para você, parece haver uma nova solução: mudar as configurações da APN no celular. Aprenda como fazer em aparelhos Android.

1. Acesse as configurações e toque em “Mais”. Depois, selecione “Redes móveis”.

2. Selecione “Nomes dos pontos de acesso”.

3. Acesse cada item das imagens abaixo e troque os valores pelos seguintes:

Dados:

Nome: Claro Dados
APN: claro.com.br
Proxy: Não definido
Porta: Não definido
Usuário: claro
Senha: claro
Servidor: Não definido
MMSC: Não definido
Proxy de MMS: Não definido
Porta MMS: Não definido
MCC: 724
MNC: 05
Tipo autenticação: PAP
Tipo APN: default

MMS:

Nome: Claro Foto
APN: mms.claro.com.br
Proxy: Não definido
Porta: Não definido
Usuário: claro
Senha: claro
Servidor: Não definido
MMSC: http://mms.claro.com.br
Proxy de MMS: 200.169.126.10
Porta MMS: 8799
MCC: 724
MNC: 05
Tipo autenticação: PAP
Tipo APN: mms

4. Abra Pokémon GO novamente na rede da Claro, seja em 3G ou 4G, e teste seu funcionamento.

Pokémon GO: Nintendo passa a valer mais que a Sony

val

As coisas mudam rapidamente no mundo da tecnologia. O estrondoso sucesso de Pokémon GO tem levado as ações da Nintendo, outrora desacreditada pelos mais otimistas analistas de mercado, a dispararem na Bolsa de Valores de Tóquio. Com a popularização impressionante do game, a Nintendo chegou ao maior valor de sua história na Bolsa, conseguindo ultrapassar até mesmo sua principal concorrente no mercado de jogos, a Sony.

De acordo com os números da Bolsa de Tóquio, a companhia de Pokémon GO estava valendo nesta manhã US$ 39,88 bilhões, enquanto que a Sony valia US$ 38,38 bilhões. A marca fica ainda mais relevante quando se leva em consideração que a fabricante do PlayStation possui uma tecnologia muito mais abrangente, visto que fabrica diversos tipos de produtos, incluindo televisores, computadores, smartphones, etc. Assim, teoricamente a Sony levaria vantagem sobre a Nintendo, que depende dos jogos como sua única fonte relevante de receita.

O valor atual da Nintendo é mais que o dobro de seu valor no dia 6 de julho, um dia antes do lançamento do jogo para dispositivos móveis. Pouco depois do game chegar ao mercado, a Nintendo conseguiu bater o recorde de movimentação de valores na Bolsa de Tóquio ao realizar o maior volume de negociações já feito com papéis de uma única empresa. As ações da empresa que foram compradas e vendidas totalizaram cerca de 476 bilhões de ienes (R$ 14,5 bilhões). Com o sucesso de Pokémon GO, analistas acreditam que a Nintendo passará a investir mais em jogos para smartphones, podendo trazer títulos famosos aos dispositivos móveis, como Mário e Zelda. Vale lembrar ainda que Pokémon GO nem chegou a estrear em vários países, incluindo o Japão.

Com isso, existe uma grande expectativa de que a valorização da Nintendo seja ainda maior à medida que o jogo começar a ser disponibilizado em outros mercados.

 

Pokémon Go pode ser lançado no Brasil até quinta-feira

pog

A angústia de jogadores brasileiros que estão esperando a estreia do Pokémon Go está para acabar. Nesta segunda-feira o Brasil entrou na lista de servidores ativos da Niantic, responsável pelo game.

Segundo a Rádio Globo, que conversou com especialistas no assunto, o jogo estará disponível no Brasil até na próxima quinta-feira.

Na época do lançamento a Niantic anunciou que Pokémon Go estaria disponível na América Latina logo após o lançamento na Europa, o que aconteceu neste final de semana.

Pokémon Go: quem e como fatura dinheiro com o game

pg6O aplicativo Pokémon GO, lançado neste mês, é um sucesso: mesmo ainda operando apenas em alguns países, o jogo já rendeu 7,5 bilhões de dólares para a Nintendo. Porém, a empresa não é a única que está lucrando com o jogo mobile mais bem sucedido da história.

Alguns empreendedores têm usado a grande procura por pokémons para atrair consumidores às suas lojas. Nenhum deles é brasileiro, já que o jogo ainda não está disponível no Brasil – mas é bom já ir se inspirando para quando o Pokémon GO finalmente chegar por aqui.

Veja, a seguir, como donos de negócio usaram o game para inovar (e faturar):

Traga pokémons – e clientes – para seu negócio

A pizzaria L’inizio’s Pizza Bar, em Nova York, contou com um pouco de sorte e um pouco de estratégia para se beneficiar do Pokémon GO.

Alguns pokémons apareceram randomicamente em seu restaurante, por conta da seleção do próprio aplicativo, enquanto outros apareceram porque o gerente da pizzaria, Sean Benedetti, investiu 10 dólares (32,50 reais, na cotação atual) em “módulos de atração” – recurso pago do jogo para atrair pokémons a lugares específicos.

Com a L’inizio’s lotada de pokémons, os usuários vieram ao local – e aproveitaram para consumir enquanto viam um Charmander sentado em um dos bancos ou um Snorlax em um dos banheiros do local. As vendas de alimentos e bebidasdispararam cerca de 75% em comparação com um fim de semana comum, diz Benedetti.

Outra estratégia é oferecer benefícios aos consumidores que usarem o “módulo de atração” no seu estabelecimento. Cada meia hora do recurso custa um dólar no jogo. O empreendedor pode oferecer descontos e cortesias com preço maior que esse valor (um suco de graça, por exemplo). A ideia é que esta ação irá atrair outros consumidores em busca de pokémons, superando seu custo inicial.

Aproveite pokéstops para oferecer novos serviços

Além de capturar todos os pokémons, outros objetivos do game incluem batalhar em ginásios e visitar pokéstops – lugares turísticos da região e que podem oferecer itens especiais.

A Joyride Nashville é um serviço do Tennessee, nos Estados Unidos, que leva pessoas de um local a outro usando carrinhos de golfe. Em um final de semana, notou como havia muitos jovens pedindo para serem levados a diversos pontos turísticos, enquanto tinham os celulares nas mãos.

Quando descobriu que o tráfego vinha por causa do aplicativo, o negócio criou o “Pokémon GO! Tour” – levando os passageiros pelas localizações que viraram pokéstops. Por 45 dólares (146 reais) por pessoa, é possível passear por 90 minutos. O chefe de operações de Joyride Nashville, Grant Rosenblatt, afirma que sete tours foram agendados em 24 horas.

Outro negócio que aproveitou os pokéstops foi a loja de roupas iconoCLAD, no também americano estado de Utah. Assim que soube que o negócio era um pokéstop, um cartaz foi colocado do lado de fora da loja: “Gotta catch ‘em all, in style” (“Precisamos pegar todos [os pokémons], com estilo”, um trocadilho com uma frase famosa da franquia Pokémon).

A imagem foi colocada nas redes sociais do negócio e ganhou espaço em veículos como Buzzfeed e Forbes. Agora, a loja frequentemente cita o Pokémon GO para atrair mais consumidores.

Infelizmente, os empreendimentos devem depender da sorte para se tornarem pokéstops: o próprio aplicativo decide onde os pontos turísticos estarão, diferente dos “módulos de atração.”

Ofereça serviços complementares aos do game

Como era de se esperar com tantos recursos, o Pokémon GO é um jogo que gasta muita bateria do smartphone. Percebendo o desespero dos jogadores por carregar o smartphone, alguns empreendedores passaram a oferecer soluções para esse problema.

A forma mais simples encontrada é comercializar carregadores móveis em pokéstops. Porém, a agência de marketing Huge, em Atlanta (Estados Unidos), usou o Pokémon GO como um experimento de marketing do seu próprio negócio. A cafeteria da agência fica localizada entre dois pokéstops, gerando um fluxo de possíveis consumidores passando em frente ao local.

Além de usar “módulos de atração”, a Huge adicionou 25 estações para carregar o celular. A ideia é que as pessoas fiquem mais tempo no local – e consumam mais – enquanto esperam que o smartphone carregue totalmente. Além disso, há uma promoção para os clientes que mostrarem que capturaram um Pokémon dentro da cafeteria, esperando que o cliente peça mais itens e complete a refeição.

Pokémon GO?

O aplicativo, inspirado em uma franquia japonesa dos anos 1990, inspira-se nos desenhos e nos jogos antigos. Porém, aproveita os novos recursos dos smartphones e funciona por meio da chamada realidade aumentada: une os mundos real e virtual por meio de um software.

Na tela do smartphone, é possível ver um mapa mostrando quais pokémons estão perto do usuário, por meio de geolocalização. Ao chegar aos locais indicados, o usuário pode visualizar os Pokémons na tela do seu celular e lançar uma “pokébola” para capturá-los.

Ainda que o pokémon seja virtual, todo o ambiente ao redor dele é o próprio local onde o usuário se encontra – mais ou menos como no Snapchat, no qual acessórios e caretas são adicionados em cima do rosto fotografado.

O site Polygon diz que, hoje, o Pokémon GO está disponível em Alemanha, Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Espanha, Estados Unidos, Estônia, Finlândia, Grécia, Groelândia, Itália, Islândia, Irlanda, Holanda, Hungria, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Nova Zelândia, Portugal, Reino Unido, República Tcheca, Romênia, Suécia e Suíça. Ainda não há previsão de quando o jogo estará disponível no Brasil.

Pokémon Go no McDonalds’s, lanchonete entra em parceria com game

Pokémon Go2

Além de um jogo interessante e divertido para os apreciadores de ‘Pokémon’, o mais recente jogo baseado na série da Nintendo, ‘Pokémon Go’, afigura-se também como uma grande oportunidade para negócios. Ao que tudo indica a McDonald’s está ciente disso e pretende aproveitar este fenómeno global.

 A possibilidade foi descortinada entre o código da aplicação, que indica que a cadeia de fast-food pode tornar os seus restaurantes localizações patrocinadas, tornando-se localizações com benefícios para os jogadores que se desloquem a um McDonald’s.

As localizações patrocinadas não são uma novidade por si só. Recorda o The Next Web que a produtora Niantic Labs já admitiu publicamente que tinha intenções de o fazer, sendo uma ferramenta viável de rentabilização em detrimento das habituais micro-transações.

PSP acaba de aderir à febre de “Pokémon Go” – Playstation

ip2A febre do jogo para smartphone Pokémon Go, que está a tomar Portugal e o Mundo de rajada, também já chegou às forças de segurança. Este domingo a Polícia de Segurança Pública partilhou nas redes sociais uma foto em que um Pokémon é capturado.

“Este não escapou! Bom domingo”, lê-se na publicação, na página de Facebook oficial da PSP.

Os internautas e fãs do jogo depressa se exprimiram nos gostos, que em menos de uma hora já quase chegavam aos três mil.

No entanto, houve também quem não achasse piada à brincadeira. “Entretanto, do outro lado da rua, uma loja é assaltada” e “Quando aparecer um bandido atirem-lhe também uma pokébola”, são alguns dos comentários deixados no Facebook da PSP.

Pokémon GO – Você sabe mesmo como se joga

Por esta altura já saberá o que é o Pokémon GO e porque é que o jogo está a dar tanto que falar. Vamos ensinar a jogar passo-a-passo e também como instalar o jogo, antes mesmo de ser oficialmente lançado em Portugal. Depois, a partir desta sexta-feira, a aplicação ficou finalmente disponível nas versões portuguesas da App Store (iOS) e da Play Store (Android). E já lhe contamos até algumas situações muito estranhas relacionadas com o jogo — recorde-as aqui e aqui.

Ficou só a faltar uma coisa. Afinal, como é que se joga ? Pois bem: se quer partir para a aventura no mundo dos pokémons, reunimos uma série de tópicos com explicações e dicas para se iniciar como treinador. Puxe uma cadeira, pegue no lápis e no caderno e aprenda com este guia básico para o Pokémon GO, o mais recente jogo da saga japonesa.

Noções básicas:

  • iniPokémon: São as criaturas em torno das quais gira todo o jogo. No total, existem 151 espécies diferentes de pokémons que pode encontrar, apanhar ou evoluir. Os pokémons podem lutar entre eles e tornarem-se mais fortes com o treino. Alguns pokémons são muito comuns. Outros são muito raros e difíceis de apanhar. Ah, e os pokémons nunca morrem. Só desmaiam. E têm de ser curados. Cada pokémon tem um tipo (erva, fogo, água, terra, eletricidade e por aí em diante) e isso determina as suas fraquezas e vantagens. Por exemplo, um pokémon do tipo fogo é bastante eficaz contra os de tipo erva, mas é bastante fraco contra os pokémons do tipo água.
  • Treinador: São todos aqueles que se dedicam a apanhar e a evoluir pokémons. Ou seja, basicamente, todos aqueles que jogam o jogo. O objetivo dos treinadores é, no fundo, ter um exemplar das 151 espécies de pokémons à solta no mundo. Daí a velha máxima de “vamos apanhá-los todos”, que é associada ao franchise desde sempre. No Pokémon GO, os treinadores também vão subindo de nível à medida que vão ganhando experiência. E isso faz-se jogando.
  • Pokébola: É um objeto esférico e oco que serve para apanhar pokémons. Existem vários tipos diferentes de pokébolas, mas as básicas aparecem pintadas de vermelho e branco. Cada pokébola só pode ser usada uma vez. Para se apanhar um pokémon, atira-se-lhe uma pokébola. O pokémon não fica necessariamente preso na pokébola à primeira tentativa. Após capturar com sucesso um pokémon selvagem, esse pokémon fica para sempre associado a essa pokébola.
  • Pokédex: É um aparelho que regista informações relativas a todas as espécies de pokémons que um determinado treinador tem, ou com as quais já se cruzou no jogo. Todos os treinadores têm um.
  • Pokéstop: São locais onde os treinadores podem abastecer-se de pokébolas e ganhar outros itens relevantes para o jogo. Na vida real, esses locais podem ser monumentos, bibliotecas, parques, postos do correio ou qualquer outro sítio que o jogo interprete como sendo um ponto de paragem. No mapa, as pokéstops aparecem representadas por um pequeno cubo azul.
  • Ginásio: A par de apanhar pokémons, os ginásios são o outro ponto central de todo o desafio. São também pontos de interesse público no mundo real que, no jogo, se convertem em grandes estruturas facilmente identificáveis no mapa. Só pode entrar num ginásio quando a sua personagem alcançar o nível cinco. Existem três equipas no jogo, representadas pelas cores amarela, azul e vermelha (Instinct, Mystic e Valor, respetivamente). No mapa, pode ver a que equipa pertence cada ginásio através da cor do ícone. Quando entra num ginásio pela primeira vez, passará a pertencer à equipa que tiver conquistado esse ginásio. Num ginásio, pode ainda fazer três coisas: treinar os seus pokémons lutando contra pokémons da mesma equipa; defender um ginásio da sua equipa, disponibilizando pokémons dos seus; ou tentar controlar um ginásio inimigo, lutando contra as equipas adversárias.

Os cubos azuis são pokéstops, enquanto a grande estrutura ao fundo é um ginásio

O início da aventura:

Neste guia, aprenderemos apenas o básico para se iniciar no Pokémon GO. A partir daí, o resto virá por acréscimo e, além disso, não lhe queremos estragar a diversão.

A primeira coisa a fazer é escolher o género da sua personagem e selecionar os traços físicos que forem do seu agrado. Quando terminar, poderá ver o mapa com o seu jogador ao centro. Esse mapa é, também, o mapa real da sua aldeia, vila ou cidade, dependendo do sítio onde está na vida real. À sua volta, terá três pokémons:

  • O cor de laranja é o Charmander, que é do tipo fogo;
  • O pokémon azul é o Squartle, um pokémon aquático;
  • O verde é o Bulbasaur, um pokémon do tipo erva.

Um deles é para si: terá de o apanhar. E, para isso, basta carregar nele. Com o dedo, arraste e atire-lhe uma pokébola, aquelas coisas vermelhas e brancas que servem para apanhar criaturas no jogo. Tem de lhe acertar mesmo para que a pokébola tenha efeito. E está feito. Esse será o seu primeiro companheiro de aventura. (Não conte a ninguém, mas há ainda um quarto pokémon que pode escolher: é o Pikachu, o pokémon mais popular de todos. Precisa de alguma paciência para o apanhar, mas descubra aqui o truque.)

Agora que tem o seu primeiro pokémon, é preciso escolher um nome para a sua personagem. Esse nome será único no jogo e não poderá ser usado por mais ninguém em nenhuma parte do mundo. Escolha bem.

Depois disto, já estará tudo pronto para começar a aventura. Ponha a mochila às costas e saia de casa. Vamos lá então.

A sua personagem também pode evoluir ao longo do jogo

Ir a uma pokéstop:

Escolha um dos ícones azuis nas redondezas e dirija-se até lá — se está numa grande cidade, o local não deverá estar muito longe e poderá ir a pé. Se vive num sítio mais remoto, poderá ter de se deslocar de carro ou de transportes públicos até encontrar uma pokéstop.

Uma vez próximo do local, carregue no ícone que aparece no mapa. No ecrã, aparecerá uma fotografia circular do sítio onde está. Arraste o dedo da esquerda para a direita para ver quais os itens que poderá recolher. Depois, clique neles para os guardar.

Se por acaso o seu telemóvel começar a vibrar, isso significa que haverá um pokémon por perto — no canto inferior direito do ecrã é possível ver que pokémons selvagens existem nas redondezas. E isso leva-nos ao próximo ponto.

Apanhar um pokémon selvagem:

selHá duas formas de saber que existem pokémons selvagens nas redondezas: ou aparece indicado no canto do ecrã, ou o telemóvel começa a vibrar. Quando, no mapa, vir vegetação a abanar, isso significa também que há por ali um pokémon.

O pokémon aparecerá visível no mapa quando estiver perto dele. Clique na criatura para a poder apanhar. Como fez no início do jogo, terá de lhe lançar uma pokébola e acertar-lhe mesmo em cheio. Haverá um anel em torno do pokémon: se for verde, deverá bastar uma ou duas pokébolas até conseguir; se for vermelho, será um bocadinho mais difícil. O anel também vai mudando de largura. Quando mais estreito, maiores serão as probabilidades de o apanhar.

Se não estiver a conseguir, experimente desligar o modo AR (Realidade Aumentada) no botão do topo, à direita. Em vez de sobreposto à câmara do telemóvel, o pokémon aparecerá mesmo ao centro do seu ecrã. Mas não é tão divertido. Pode ainda fugir e abandonar o pokémon, carregando no ícone à esquerda.

E o que fazer se não existirem pokémons por perto? Abra o menu da aplicação (na pokébola ao centro e na base do ecrã), entre na secção dos itens e use um módulo “Incense”. Esse artefacto vai atrair pokémons para perto de si durante 30 minutos. No início, são-lhe dadas duas unidades desse item. Mais tarde, se quiser mais, terá de as comprar com a moeda virtual do jogo — e que, por sua vez, pode ser adquirida com dinheiro real.

Só é possível apanhar pokémons selvagens

Evoluir, evoluir, evoluir:

Como em todos os jogos deste género, o segredo está em evoluir. Quanto mais jogar, mais forte será no jogo. O principal passa por evoluir a sua própria personagem, adquirindo pontos de experiência (XP). Pode ganhar experiência capturando pokémons, incubando ovos de pokémon enquanto se desloca no jogo (o mínimo são dois quilómetros), descobrindo novas espécies de pokémon, visitando pokéstops ou mesmo treinando em ginásios.

Quanto aos próprios pokémons, cada um está associado a dois indicadores: CP, que é a quantidade de dano que pode infligir num adversário, e o HP, que é a quantidade de dano que pode receber. À medida que um pokémon evolui, essas métricas também evoluem de forma paralela.

Esse tipo de evolução chama-se PowerUP e precisa de duas coisas:Stardust, que é uma substância que se ganha quando se apanham novos pokémons novos, e Pokémon Candy, que é uma substância associada a cada espécie de pokémon (por exemplo, o Pikachu usa Pikachu Candy). Ganhar Candy faz-se também capturando um determinado tipo de pokémon. Por exemplo, para ganhar Pikachu Candy terá de apanhar vários Pikachu. Transfira os pokémons que não quer para o Professor Willow para receber mais dessa substância (botão “Transfer” no jogo).

Uma boa dica para iniciantes é ir gastando os recursos num pequeno grupo de pokémons. Assim, terá um pequeno esquadrão de pokémons fortes para quando for preciso partir para a batalha.

É possível ver ao detalhe as estatísticas de cada pokémon capturado

Outras dicas:

Por fim, deixamos algumas dicas que tornarão o seu jogo mais fácil:

  • O tipo de pokémons que encontra está diretamente relacionado com o local onde está. Por exemplo, encontrará mais pokémons aquáticos junto a cursos de água, pokémons do tipo erva em parques e por aí em diante. Não se espante se encontrar um Ghastly, um pokémon fantasma, junto a um cemitério, por exemplo.
  • Andar de transportes públicos é uma forma fácil e rápida de encontrar pokébolas. Se andar de autocarro, por exemplo, basta clicar na pokéstop quanto estiver a passar junto dela. Obviamente que este truque não funciona no metropolitano, tendo em conta que é necessário um sinal de GPS para o jogo funcionar.
  • O jogo gasta bateria. Muita, mesmo. Para ter a noção, uma hora de jogo deve significar metade da bateria gasta. Nas definições do jogo há uma opção que ajuda a poupar energia e poderá querer ativar. De qualquer forma, previna-se e leve uma ou várias power banks consigo.

Cadê todo mundo deste grupo

Pokémon Go já pode virar filme live action

pg3

O tão badalado jogo para smartphones Pokémon Go foi lançado há uma semana e se tornou um fenômeno mundial, apesar de ainda estar disponível somente na Austrália, Nova Zelândia, Estados Unidos, Japão e Alemanha. O game de realidade aumentada foi o responsável por inflar o valor de mercado da Nintendo em 9 bilhões de dólares em apenas sete dias e já se tornou um atrativo para outro mercado do entretenimento, o cinema. Segundo informações do site americano Deadline, a Legendary Pictures está em negociação com a empresa de jogos e a Pokémon Company, donas dos direitos sobre os monstrinhos, para lançar um filme live-action (ou seja, com atores reais) da franquia.

Segundo a publicação, por enquanto não há nenhum contrato firmado, mas muitas conversas sobre o assunto. Os videogames voltaram a se tornar um novo filão para Hollywood. Somente em 2016, há exemplos de longas que surgiram dos consoles, como Angry Birds, Warcraft e o futuro Assassin’s Creed.

A franquia Pokémon já possui certa experiência no cinema. Os monstrinhos já ganharam no total dezenove longas desde 1998, mas todos em formato de animação e acompanhando os personagens da série de anime, produzida desde 1997. Esses filmes, porém, são exibidos somente nos cinemas japoneses, e lançados em plataformas de streaming e DVD nos Estados Unidos. O Brasil chegou a receber apenas as duas primeiras aventuras da franquia nas telonas.

Pokémon Go foi lançado no ano em que os monstrinhos, representados pelo roedor amarelo Pikachu, completam 20 anos de idade e o sucesso do game mostra que a sua popularidade não se abalou. A bem-sucedida novidade da Nintendo se baseia em permitir que os fãs capturem Pokémons no mundo real. Através do uso de um mapa no estilo do Google Maps, os jogadores precisam vagar pelo mundo real para encontrar as criaturas e capturá-las utilizando as câmeras do celular. Além de disputar batalhas em ginásios espalhados pelo mundo virtual, mas localizados em pontos turísticos do mundo real, como a Casa Branca, em Washington.

Por enquanto, o jogo não está disponível no Brasil. No dia do seu lançamento, alguns fãs brasileiros até conseguiram baixar o game, mas após o gigantesco volume de downloads (nos EUA, o título já possui mais usuários que aplicativos de namoro como Tinder), os servidores da Niantic, a empresa criadora do game, ficaram sobrecarregados e eles bloquearam os acessos em algumas regiões do globo, até normalizarem a situação e liberarem oficialmente o aplicativo para o resto dos países.

Pokémon Go: maníacos pelo jogo não param nem com facadas

Verdadeiros zumbis. O mundo está louco por Pokémon Go. Sério, literalmente. Além do encontro de um cadáver,cilada virtual de bandidos, drone com caça remota e jogadores trapaceiros, agora foi a vez de um jovem estadunidense de 21 anos mostrar que está viciado no mais novo título da Nintendo. Na terça-feira desta semana, 12 de julho de 2016, Michael Baker, residente da cidade de Forest Grove, Washington, levou uma facada enquanto procurava os monstrinhos de bolso, o que não o impediu de continuar sua jornada para ser o melhor treinador do mundo.

Enquanto andava em busca de novos bichinhos para chamar de seus, trombou com alguém e o chamou para a batalha, pensando ser outro jogador de Pokémon Go, mas a história não acabou bem. O estranho tirou a arma branca de suas vestimentas e atacou o jovem no ombro, fugindo logo em seguida. Baker não procurou socorro, querendo mais tempo para desfrutar da jogatina.

jvA polícia local de Forest Grove confirmou ao The Telegraph que “um jovem de 22 anos levou uma facada, mas recusou o tratamento médico para continuar dentro do universo criado pelo título da Nintendo”. Ninguém ainda foi preso. “Eu o vi passar e perguntei se estava jogando Pokémon Go. Ele ficou, tipo, ‘o que?’. Eu acho que ele quis batalhar, pois veio a mim com uma faca”, disse Michael Baker ao canal FOX 12. “Depois de ser escaqueado, eu continuei minha missão. […] Eu basicamente arrisquei a minha vida”, completou.

Ironicamente, a primeira mensagem mostrada ao abrir o game feito pela Niantic Labs é para prestar atenção aos arredores, evitando que acidentes ocorram enquanto tenta capturar os monstrinhos. Desta vez, além de ficar de olho no ambiente que o cerca, também é bom analisar as pessoas que estão nas proximidades. Algumas delas estão inclinadas a esfaquearem quem quer que seja.

Pokémon Go no Brasil:

Pokémon Go ainda não estreou oficialmente em solo brasileiro. Ainda assim, é possível desfrutar de suas primeiras etapas no Android e no iOS. No sistema operacional da Google, basta baixar o aplicativo de forma alternativa, enquanto os usuários de iPhone precisam apenas criar uma conta na Apple Store e Google dos Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia ou Japão para conseguirem acessar o game.

Infelizmente, ao entrar no mundo da Nintendo, pode-se somente capturar o pokémon inicial, pois os demais não estão disponíveis no mapa. O sucesso estrondoso da novidade está causando instabilidades nos servidores, o que atrasaria o lançamento da plataforma em mais regiões. Passar o WhatsApp, Snapchat e até a pornografia não é para qualquer um, então kudos ao esforço da Nintendo e Niantic Labs. Quando Pokémon Go chegar por aqui, lembre-se de prestar muita atenção para onde está indo.