Saiba como ter códigos de login do Facebook sem celular

cod2O Facebook oferece o recurso de verificação em duas etapas, que reforça o acesso com a adição de um código recebido pelo celular. Dessa forma fica mais difícil que terceiros ou hackers entrem na sua rede social, mesmo se descobrirem seu nome de usuário e senha. No entanto, caso você perda ou esqueça o celular em casa, não vai conseguir autenticar o login em computadores desconhecidos. Então, para facilitar e ter um plano reserva, o internauta pode salvar códigos para usar uma única vez na verificação do Facebook. O recurso é gratuito e simples de encontrar. Confira como usar neste tutorial para computador.

Encontrar os códigos

1. Acesse o Facebook e clique no ícone de “menu” indicado por uma “seta” no topo direito. Em seguida, selecione “Configurações”;

2. Na tela de configurações, clique em “Segurança” no menu da esquerda . Abra a opção “Aprovações de login” e clique em “Obter códigos”;

3. Digite sua senha do Facebook para autenticar de que é realmente você solicitando o código extra. Confirme em “Enviar”;

4. O usuário vai receber uma lista com 10 códigos para serem impressos ou salvos, e usados quando não estiver com o celular. Vale lembrar que você pode pedir diversas vezes os códigos de acesso, mas cada sequencia só pode ser usado uma vez. Isso garante maior segurança e se alguém descobrir esse mesmo número não poderá utilizar para acessar seu Facebook.

Como usar os códigos

1. Abra o Facebook de forma tradicional no computador. Em seguida, digite seu nome de usuário e senha no topo direito, confirmando em “Entrar”;

2. Agora, ao invés de adicionar o código recebido normalmente no celular, na verificação em duas etapas, digite um dos códigos extras (respeitando o espaço) e confirme em “Continuar”;

3. Se for um computador de confiança, você pode salvar o navegador para não precisar digitar o código novamente, caso faça logout. No entanto, se for um PC público ou sem seu uso contínuo, é indicado que você não salve o navegador. Assim qualquer outra pessoa depois precisará digitar um novo código para acessar sua conta.

Agora basta usar seu Facebook normalmente e toda vez que precisar fazer login escolher um dos códigos unitários extras, quando estiver sem o celular.

Netflix: The Get Down será lançada amanhã pelo serviço

The Get Down será lançada amanhã pela Netflix. Fusão bem sucedida de soul, jazz, funk e música latina, a disco music reinou soberana nas pistas da década de 1970. Donna Summer, Jackson 5 e Gloria Gaynor, seduzidos pelo flerte eletrônico, ajudaram a democratizar a cultura noturna e a reunir brancos, negros, gays e imigrantes em um mesmo espaço. Com teor declaradamente social e mais improvisado que a disco, o hip-hop emergiu nos subúrbios negros de Nova York mais ou menos no mesmo período. É nesse momento culturalmente explosivo que a Netflix situa The Get Down, série em 12 episódios que estreia amanhã, 12, no serviço de streaming.

Produzida pela Sony Pictures especialmente para a plataforma, a série leva a assinatura pomposa de Baz Luhrmann, o cineasta por trás dos visualmente impactantes Moulin Rouge!, O Grande Gatsby e Romeu + Julieta. Nas imagens divulgadas pela Netflix, pode-se perceber a mão de Luhrmann – embora de forma mais sóbria – no rigor estético e no caráter musical da narrativa. O australiano atua como produtor executivo e dirige o episódio piloto de The Get Down.

tg

A série acompanha a vida de seis jovens do South Bronx, em Nova York, que no verão de 1977 começaram a usar a música e a moda como forma de expressão em um bairro dominado pela pobreza e violência. Com sprays, passos de dança ousados e rimas na ponta da língua, integraram uma revolução que criou todo um estilo de vida e comportamento. Das mãos de Baz Kuhrmann, pode-se esperar uma visão estilizada da violência simbólica que cercava aquele jovens e das reações que suas atitudes desencadearam.

O elenco principal de The Get Down, como vem se tornando prática recorrente nas produções da Netflix – é só olhar para a exitosa Stranger Things – , é formado por nomes conhecidos e outros novatos em que a plataforma decidiu apostar. Jaden Smith, filho do ator Will Smith, interpreta na série um jovem grafiteiro de influências psicodélicas. Giancarlo Esposito, famoso pelo papel do traficante Gus Fring em Breaking Bad, dá vida a um pastor de sermões incendiários e liderança firme.

Os novos nomes são os dos atores Justice Smith e Herizen Guardiola, que interpretam os protagonistas Ezekiel “Books” Figuero e Mylene Cruz, um casal de estudantes de ensino médio que está prestes a mergulhar no universo do hip-hop. O jovem rapper Shameik Moore fecha o núcleo principal com um personagem descolado e viciado nas aventuras e perigos que as ruas oferecem.

Quem acompanha o universo musical do hip-hop também deve ser fisgado pela trilha sonora da série, que inclui nomes como o músico Nile Rodgers e os rappers Nas e Grandmaster Flash. O cantor Miguel, que em 2014 lançou o elogiado álbum Wildheart, divulgou na última terça, 9, a inédita Cadillac, que vai integrar a seleção musical.

A Netflix vai lançar os seis primeiros episódios de The Get Down amanhã, e os outros seis devem ser lançados no início de 2017.

Universo Hip-Hop

Grandmaster Flash and the Furious Five

Formado no Bronx em 1976, foi um dos grupos fundamentais na difusão e consolidação do hip-hop como gênero e estilo.

Tupac

A crítica especializada concorda ao considerar Tupac o rapper mais importante dos anos 1990. Seu álbum de estreia, 2Pacalypse Now, é um marco do hip-hop.

Public Enemy

Com o disco Yo! Bum Rush the Show, de 1987, o grupo revolucionou o hip-hop, atualizando as batidas e trazendo modernidade ao gênero.

Beastie Boys

Em um universo de artistas negros, o Beastie Boys foi primeiro grupo de rappers brancos. Permaneceu na ativa de 1981 a 2012.

SERVIÇO

The Get Down

Os seis primeiros episódios da série serão disponibilizados a partir de amanhã, 12, na Netflix.

Que dia vai ser a prova do inem de 2017

Gear 360: Samsung lança oficialmente câmera 360° no Brasil, confira preço

A Samsung lança oficialmente a câmera Gear 360 no Brasil. O dispositivo começa a ser vendido ainda hoje no país e seu preço será de R$ 2.599. Ele poderá ser encontrado na loja online da marca e nos principais varejistas do país (offline e online).

Além disso, vale lembrar que o dispositivo é compatível com os recém-lançados Galaxy S7 e Galaxy S7 Edge, assim como os Galaxy S6 edge +, Note 5, Galaxy S6 edge e Galaxy S6.

Confira nossas primeiras impressões sobre o dispositivo logo abaixo:

Design:

60-A Samsung Gear 360 é uma pequena esfera que conta com duas lentes Olho de Peixe, que cobrem 180 graus nas laterais. Ambas com uma resolução de 15 MP.

Na parte superior da esfera, há uma tela onde é possível visualizar o menu que indica em que modo se encontra a câmera: foto ou vídeo, assim como os botões de menu. Nas laterais se encontram outros dois botões que nos permitem escolher o modo desejado.

A câmera conta com uma tampa removível que esconde uma entrada para cartões microSD e uma entrada para cabos micro-USB.

A Samsung Gear 360 vem com um pequeno tripé sobre o qual se encontra a câmera, e que pode ser usado também em outros modelos de câmera. Seu tamanho é similar a uma bola de tênis e pesa um pouco mais de 150 gramas.

Funções:

60-2A câmera funciona em conjunto com o aplicativo Gear 360 e os smartphones Samsung Galaxy S7 e S7 Edge. A potência dos dispositivos permite “costurar” o vídeo ou as fotos feitas com a Samsung Gear 360 e, com a ajuda de um óculos de realidade virtual, poderemos ver nossas imagens em 360 graus. Aliás, o processo, que só o Galaxy S7 e Galaxy S7 Edge são capazes de proporcionar, se chama “Stitching” (“Costurar”, em português).

Os amantes das selfies ou fotos em massa estão com sorte. As lentes Olho de Peixe da Samsung Gear 360 nos permitiram capturar duas selfies ao mesmo tempo ou um selfie múltipla para encaixar todo mundo.

Dell abandona o Android para focar nos Windows “2 em 1”

dell2

A empresa Dell anunciou que, a partir de agora, priorizará os aparelhos com Windows, deixando de atualizar os modelos da linha de tablets Venue que funcionam com Android como sistema operacional. Portanto, a companhia se afastará dos tablets comuns e passará a focar sua atenção aos dispositivos “2 em 1”. “O mercado de tablets está saturado e registrando uma queda na demanda dos consumidores. Por isso, decidimos descontinuar a linha de tablets Android Venue”, anunciou a companhia por meio de um porta-voz.

Além de descontinuar a linha Venue, a norte-americana também não oferecerá mais o Wyse Cloud Connect – computador no formato de pendrive que roda Android como SO e pode transformar um monitor simples em um PC.

A companhia já vinha descontinuando aparelhos com Android de sua linha de produtos, faltando esses dispositivos de agora. Tablet da linha Venue, da Dell, com sistema operacional Android (Reprodução: Android Central) A Dell ainda destacou a alta dos computadores “2 em 1” no mercado da informática. “Estamos vendo o aumento da popularidade dos 2 em 1, uma vez que eles fornecem uma mistura melhor das habilidades de um PC com a mobilidade do tablet. Isso é algo especialmente verdadeiro no ambiente corporativo”, disse o porta-voz.

A partir de agora, a companhia não oferecerá mais upgrades do Android para os tablets Venue, mas garantiu que manterá seu suporte para contratos de serviços e garantias que ainda estejam no prazo de validade. Seguem em linha produtos como os Chromebooks 11 3120 e 13 7310, que funcionam com o Chrome OS, além dos dispositivos com Windows e Linux.

Google Maps Android e iOS recebem destinos múltiplos

mapsO útil Google Maps, para Android e iOS, já começou a receber a funcionalidade de rotas para destinos múltiplos, que permite criar verdadeiros percursos entre diversos pontos, à semelhança do que já acontece na versão web.

Em primeiro lugar será necessário actualizar o seu Google Maps para a versão 9.31, mas ainda será necessário que o servidor Google passe a implementar a opção.

Isto significa que podemos não conseguir criar rotas para múltiplos destinos, dependendo do país em que estamos. Onde a possibilidade estiver desde já disponível, basta ir pressionando o ícone + para acrescentar destinos.

Não é a única mudança a ser implementada na mais recente versão do Google Maps. Os anúncios pagos também passarão a fazer parte integrante dos resultados de buscas na aplicação.

Elephone S7 Galaxy S7 edge com Helio X20 por menos de US$ 150

el2Elephone é mais uma das fabricantes chinesas que busca ganhar espaço no mercado nacional. A empresa já lançou uma boa quantidade de aparelhos na China, onde a mesma vem trabalhando no Elephone P20, que pode ser o primeiro com o novo chipset Helio P20 da MediaTek, trazendo memória RAM LPDDR4X que promete acelerar o desempenho do Android.

O Elephone P20 será um smartphone sem bordas laterais, mas a empresa pretende abraçar uma tendência do mercado atual, os dispositivos com tela curva. As imagens que podem ser conferidas abaixo é de um suposto Elephone S7, um modelo com corpo de metal com acabamento traseiro em vidro. É inegável que a novidade lembre bastante o Galaxy S7 edge, especialmente a parte frontal com seu botão físico abaixo da tela.

O que podemos esperar do Elephone S7?

el3Ao contrário do Helio P20 cogitado para o Elephone P20, este novo aparelho trará o Helio X20, um dos chipsets mais avançados da MediaTek atualmente. Enquanto o outro é uma octa-core, este é o primeiro processador móvel com 10 núcleos a chegar ao mercado, estando presente já em alguns recentes lançamentos. Além disso, ele também conta com a GPU Mali-T880, solução gráfica mais atual da ARM e compatível com recentes tecnologias, como a API gráfica Vulkan.

A parte mais interessante é que o Elephone S7 será lançado em breve por apenas US$ 99 em sua versão mais básica. Já a mais completa é dita que chegará ao mercado com valor deUS$ 189. Infelizmente, não foi informado o que muda de uma para outra, mas podemos imaginar que seja apenas a quantidade de RAM e armazenamento oferecido.

Asus ZenUI fica disponível para smartphones o sistema

Nos primeiros dias do Android, vários fabricantes começaram por desenvolver os seus “launchers”, com todas as personalizações, recursos próprios, etc, e colocaram-nas a correr em cima do SO puro da Google.

Estes launchers acrescentam funcionalidades ao Android, que na maioria dos casos não existe no sistema operativo de raíz. Tal como a LG, a Samsung, a Huawei, a HTC, também a ASUS dispôe do seu próprio “launcher”. A partir de agora, o “launcher” da ASUS encontra-se disponível para instalação e será compatível com todos os smartphones que suportem a versão do Android 4.3 ou superior.

Criticado por uns, defendido por outros, o Android puro não é facto para qualquer utilizador. Por vezes, apelidado de um sistema aborrecido por falta de funcionalidades, a realidade é que no seu estado mais puro, tal como o apresentado nos equipamentos Nexus, o Android é de uma velocidade e funcionalidade estonteante. Tudo simplesmente…funciona.

Mas essa simplicidade e falta de recursos, têm os seus contras para alguns utilizadores. Utilizadores que gostam de possuir nos seus equipamentos, outros recursos que dificilmente algum equipamento Nexus terá de origem. Funcionalidades como p.e., sensor de IV, possibilidade de criar pastas na app drawer, maior customização do aparelho entre outros, poderão ser indispensáveis.

E é aqui que os diferentes “launchers” de várias marcas entram em acção. Mas estes acréscimos ao Android também têm o seu contra, colocando por vezes maior lentidão a todo o sistema operativo, e dependendo das marcas de fabricantes, algumas poderão ser inclusive mais confusas.
Cabe assim, a cada utilizador decidir o que maior utilidade terá para si próprio. Simplicidade e rapidez com ausência de algumas funcionalidades, ou alguma lentidão e por vezes alguma confusão mesmo, mas com maior número de funcionalidades e recursos disponivéis no seu equipamento

Tag Heuer: Empresa suiça desenvolve primeiro smartwatch de luxo com sistema Android

th2Praticamente um ano atrás, um dos chefes da Tag Heuer criticou a primeira geração de smartwatches da Apple. Agora, a empresa suíça desenvolveu seu próprio modelo de relógio inteligente, aponta reportagem do site Business Insider. A empresa anunciou seu relógio Connected Watch em novembro e em alguns meses estará disponível em todo mundo.

O modelo é resultado de esforços da empresa com a Intel e o Google. A Intel foi responsável pelo chip e o Google pelo sistema operacional, o Android, enquanto a companhia suíça trouxe o hardware e o design.

O Google comenta que o dispositivo é “o primeiro relógio de luxo com sistema Android Wear”. O preço dele é de US$ 1,5 mil e tem desempenho semelhante com o Moto 360 da Motorola. A reportagem do Business Insider comenta que o preço não é extremamente barato, mas levando em conta que é um produto de luxo, não está tão caro assim.

A Tag Heuer faz parte do conglomerado de luxo da França LVMH, responsável, entre outras marcas, pela Louis Vuitton, por exemplo. Outros relógios da empresa suíça, que não são smartwatches, são oferecidos por mais de US$ 3 mil.

Android: Plataforma não terá versão do iMessage: Apple desmente boato durante WWDC

imApple não vai liberar o iMessage para Android, contrariando os rumores lançados por um site americano. A notícia que circulava é de que o app seria liberado nesta semana, na WWDC 2016, o que não ocorreu.

A razão para isso seria, em termos gerais, a ausência de um bom motivo para disponibilizar o mensageiro para a plataforma do Google. As explicações foram dadas por um “executivo sênior da Apple”, segundo um colunista do site The Verge.

Walt Mossberg, que também é o principal colunista de tecnologia do The Wall Street Journal, teria conversado com o alto executivo da Apple. Segundo o colunista, sua fonte deu duas principais justificativas para que o Android não receba o iMessage. A primeira delas é que o serviço de mensagens é um apelo comercial do iOS e MacOS. Limitar o iMessage para os dispositivos da maçã, dessa forma, impulsiona as vendas do hardware da companhia.

O segundo motivo é que os sistemas da Apple já têm mais de 1 bilhão de dispositivos ativos no mundo. Essa quantidade de usuários gera um conjunto de dados grande o suficiente para quaisquer possíveis iniciativas de inteligência artificial na qual a Apple possa estar trabalhando, disse o executivo, que não foi identificado. Pelo menos por enquanto, a companhia não teria interesse em alargar sua base.

O Apple Music, que chegou ao Android no ano passado, foge a essa lógica. No entanto, cabe lembrar que o serviço de streaming não era um produto forte da companhia, como o iMessage é. Outra razão é que, em uma plataforma de música, garantir a maior base de usuários possível é um fator importante para negociar com artistas. Se um cantor quer lançar seu álbum com exclusividade via Spotify ou Apple Music, a decisão certamente passará pela quantidade de usuários de cada streaming.

Enquanto alguns usuários Android ficam descontentes com a notícia, quem tem o sistema móvel da Apple vivencia a expectativa da chegada do iOS 10, previsto para ser liberado entre setembro e novembro. Entre as novidades estão uma nova tela de desbloqueio, integração da Siri com WhatsApp, troca de mensagens com maior personalização e um teclado com GIFs, entre outras.

Baixar whatsapp primeira versão

Aprenda a rodar todos os seus app do Android no PC

kopO Koplayer é uma máquina virtual  que pode ser instalada nos sistemas operacionais Windows ou Mac. Baseado no Virtual Box, o que ele faz, basicamente, é rodar o Android 4.4.4 da versão tablet em uma janela no meio da área de trabalho como outro programa qualquer.

A única diferença com a versão nativa para os tablets é que agora o seu dedo é substituído pelo mouse, e sua fluidez irá surpreendê-lo.

A principal vantagem é ser capaz de desfrutar de aplicativos e jogos que normalmente não possuem versão para computador.  Além disso, você pode desfrutar de seus jogos favoritos em uma tela de 23 polegadas, ao invés de jogar normalmente em uma tela de 5.

Com o Koplayer, você pode executar quase todas as aplicações e jogos a partir do Google Play, mesmo Facebook ou WhatsApp. Basta instalar, cadastrar-se com a sua conta e começar a baixar apps do Google Play. Ele tem quase a mesma experiência de um smartphone Android, para que você não se sinta como um peixe fora d´água.

Suporta mouse, teclado e controles para jogos (gamepdad), e tem uma função para gravar a tela com o qual é possível registrar seus games. Você também pode compartilhar arquivos entre o PC ou Mac e a máquina virtual Android e alterar a resolução padrão ou a quantidade de memória RAM utilizada pela máquina virtual.

Instalando Koplayer:

Basta baixar e instalar. Você pode encontrar a versão para Mac e PC no site oficial da Koplayer. Uma vez instalado, dê permissão para se conectar à Internet. Na área de trabalho você tem dois atalhos, um para lançar Koplayer e outro para gerenciar versões Koplayer que tenham sido instaladas anteriormente.

Usando o Koplayer:

kop2O Koplayer é quase como um smartphone, mas tem algumas coisas únicas. Por exemplo, para deixá-la em segundo plano ou abri-lo novamente você só tem que pressionar Ctrl + Atl + W. É possível alterar a resolução da janela em que é mostrado, mas você nunca poderá ter mais resolução do que a sua tela tem, obviamente. Na verdade, o melhor é usar uma resolução máxima no app um pouco menor do que a resolução de seu monitor.

Para alterar a resolução, clique no ícone à direita de minimizar no canto superior direito da janela. Escolha ‘Software Settings’ no separador ‘General’ marque a opção ‘Custom Resolution’ e altere as medidas de ‘Width’ (largura) e ‘Height’ (altura). O ‘Dpi’ (pixels por polegada) pode deixá-los como estão. Quando você terminar, clique em “Save” para salvar para reiniciar o Koplayer.

Alteração da memória RAM:

Em ‘Software Settings’, dentro do aba de ‘Advance’ podemos escolher a quantidade de RAM que você deseja usar. A opção padrão é marcada 1 GB (1024 MB) e há outra opção para 2 GB (2048 MB), mas também podemos usar qualquer outro qualquer valor na opção ‘Custom Memory’.

Eu aconselho a não usar mais da metade da RAM que você tem em seu computador uma vez que, embora Koplayer  apenas use uma máquina virtual, o sistema operacional e máquina virtual também precisam de memória para serem executados.

Gravando a tela:

À esquerda da janela principal, temos várias opções. Para fazer uma captura de tela, basta clicar sobre o ícone que representa uma tesoura e para gravar, o ícone que representa uma câmera. Quando você optar por gravar em uma janela de visualização, escolha os níveis de som, o microfone e pasta do computador onde irá armazenar os arquivos gravados. Para iniciar pressione ‘Start’.

Controles para jogos:

Para alguns jogos você precisa tocar a tela com dois dedos de uma só vez, mas temos apenas um mouse no Koplayer. Uma vez que você começou o jogo podemos configurar os controles de toque na tela com as teclas do teclado. Para fazer isso, clique no ícone à esquerda do teclado ou pressione a tecla F12.

Você será capaz alterar os controles de movimento e outros comandos, bastando clicar sobre eles com o mouse e selecionar uma letra no teclado. Ao terminar de configurar a interface clique em ‘Save’.

Compartilhe arquivos entre seu computador e Koplayer:

Para mover os arquivos do sistema operacional do computador para Android e vice-versa, o Koplayer tem que escolher uma pasta compartilhada no PC que será acessível a partir do navegador de arquivos Koplayer. Para selecionar a pasta, clique no ícone que se parece com uma bandeja.

Escolha a pasta que você deseja compartilhar com Android e, uma vez selecionada, a rota é exibida no browser do Android.

2 whatsapp no windows phone

Baixar gb whatsapp para windows phone

Whatsapp gb para windows phone